Pular para conteúdo
7.2.18

Felicidade

Plenitude .:.

"Existe uma dose de insatisfação, de inquietação, absolutamente necessária para se manter a roda da vida girando. Estar um pouco infeliz é essencial para uma genuína felicidade. O indivíduo plenamente satisfeito consigo mesmo morreu, encerrou todo um aprendizado e deveria ter o bom-senso de partir antes do tédio corroer-lhe a perfeição.

Felicidade é, em linguagem poética, um arco-íris cuja existência é relativa e deixa de existir se chegamos muito perto.

Quem diz-se inteiramente satisfeito, completo e inteiro não é feliz mas uma anomalia, um fruto maduro que logo cai da árvore e começa a podrecer. É a vida.

Ter felicidade e ser feliz são coisas distintas; por vezes nos perdemos procurando o que já temos e nos gastamos tentando manter o que, na verdade, já perdemos.

Compreender portanto que a felicidade é, como a vida, eterno movimento e insaciável transformação, nos desprende de modelos fixos, rasga a fotografia de príncipes/princesas encantadas, dissolve a vã expectativa por prometidos paraísos e libera-nos para aceitarmo-nos sob as dores e delícias de sermos quem somos. Sem culpa. Sem ilusões."

Caciano Camilo Compostela, Monge Rosacruz – Contato: facebook.com/ mongerosacruzcacianocompostela

***

Crédito da imagem: Google Image Search (Banksy)

Marcadores: , ,

2 comentários:

Blogger Lucas Tavares Crispim disse...

Olá amigo(a), tudo bem?
Gostei do seu blog, e já estou seguindo...
Abraço, ótimo carnaval!
https://tavaresplugado.blogspot.com.br/

11/2/18 14:49  
Blogger raph disse...

Oi Lucas, obrigado, seja bem-vindo :)

12/2/18 13:23  

Postar um comentário

Toda reflexão é bem-vinda:

‹ Voltar a Home