Pular para conteúdo
19.9.09

A angústia de viver

Foi no nascer do sol que Richard finalmente alcançou o topo do monte Shiva, nas imediações de um pequena cidade no interior da Índia, para a esperada conversa com o sábio que habitava a região a muitos anos, e que não tinha nome, pois em cada morada que batia a porta pedindo comida, era chamado por um nome diferente – e não se importava.

Richard era um empresário do ramo de informática, muito bem sucedido profissionalmente. Muito mal sucedido no entendimento de si mesmo. Richard um dia acreditou que o objetivo de sua vida era criar uma grande empresa de software, conhecida em todo mundo, e ficar milionário... Tudo isso ele conseguiu, mas não podia compreender o sentido de toda essa jornada – uma pergunta lhe inquietava:

"Qual o objetivo da vida afinal?” – foi à pergunta que ele fez ao sábio ancião assim que o encontrou, varrendo a varanda de sua casa. O homem parece ter gostado do modo direto pelo qual aquele ocidental intrometeu-se em seus afazeres diários, com uma indagação tão profundamente simples. Encostou sua vassoura e respondeu-o:

"Porque você veio de sua casa até a Índia?"

"Para tentar resolver essa angústia dentro de mim mesmo..."

"E acha que vai conseguir?"

"Não sei, gostaria de tentar... Acho que essas coisas se resolvem passo a passo."

"E qual é o próximo passo?"

"Não sei, achei que iria me dizer..."

"E por acaso alguém pode saber em qual direção o ramo de árvore irá crescer?"

"Como assim?"

"Você, como eu, é apenas uma pequena semente jogada ao solo. Nós não sabemos para que direção nossos galhos irão crescer, nem que folhas e frutos iremos produzir. Sabemos apenas que nos alimentamos do sol, e tentamos chegar até ele... Mas também somos filhos da terra, e nossas raízes nos mantém atados ao solo."

"Mas e daí? E se chegarmos ao sol? Depois teremos um universo pela frente... Qual o objetivo de tudo isso? Aonde tudo vai dar?"

"Qual o objetivo? Pergunte a natureza. Pergunte por que a luz viaja junto ao tempo para permitir a vida. Pergunte por que os ventos sopram sem cessar. Pergunte por que as bactérias viraram peixes, e depois decidiram habitar a terra, e depois se transformarem em homens. Pergunte a algum físico ou biólogo que poderá lhe dizer muito mais sobre todo esse mecanismo cósmico, muito melhor do que eu que estudei apenas a mim mesmo..."

"Mas disseram-me que você é um grande sábio, que conhece muitos segredos da alma e do lado oculto das coisas. Você me diz que sabe quase nada... Então, como pode viver com essa angústia?"

"Pois eu lhe digo, meu amigo, que é exatamente essa angústia que me faz viver. Viver cada vez mais, viver em todos os momentos o espetáculo que se arma para aqueles que não tem medo de mergulharem em si próprios."

Marcadores: , , ,

0 comentários:

Postar um comentário

Toda reflexão é bem-vinda:

‹ Voltar a Home

Related Posts with Thumbnails