Pular para conteúdo
8.9.11

Rezas Inúteis I

Guerra santa
Santa guerra
Nada planta
Nada altera

E o que vejo em tua mão?
A adaga e a maldade,
ou o crucifixo e o sermão?
São de mesma utilidade…
Já que tua liberdade
brotará do coração.

Guerra santa
Santa guerra
Nada alcança
Nada encerra

Felizes os homens
que lutam na paz
e curam na guerra.
Esses são os tais
que herdarão essa terra.

raph'99


E qual guerra poderia ter sido santa? Essa é uma ideia estranha para mim...

***

» Ver também: Rezas inúteis II

Crédito da foto: M/Demotix/Corbis

Marcadores: , ,

4 comentários:

Blogger nonStandardSolutions disse...

Muito bacana este poema. Estou esperando os outros que vem a seguir...

8/9/11 19:00  
Blogger André Ricardo C. Pereira disse...

Olá Raphael, sou o André lá do Mayhem, to sempre por aqui consultando seus textos...

Legal a poesia!

Fraternalmente,

8/9/11 22:40  
Blogger raph disse...

Obrigado pessoal,

Na verdade só escrevi 2 poesias dessa série "Rezas Inúteis". Essa primeira é de 1999, a segunda de 2009 :)

No momento estou viajando a trabalho então tem sido difícil postar textos novos, mas a partir da semana que vem voltarei a periodicidade de posts usual...

Abs!
raph

9/9/11 09:16  
Blogger Djaysel Pessôa disse...

muito bom! gostei Raph!abraços!!!

9/9/11 11:52  

Postar um comentário

Toda reflexão é bem-vinda:

‹ Voltar a Home

Related Posts with Thumbnails