Pular para conteúdo
2.1.12

Uma brisa de amor

Te tenho como amigo, mesmo nas horas de dor
Porém desejo-te de outras maneiras...
Quero abraçar-te, embriagar-me em teu odor
Perder as estribeiras

Mas eis que penso se desejar-te assim
Não seria perder isso que já temos...
A poesia de você junto a mim
A fantasia do que vivemos

E então você me diz: o amor nada deseja
Desde que sopra por tudo que há
Não há carícia que já não seja

O amor tudo já tem, mas é difícil o conquistar...
Difícil é deliciar-se numa brisa de amor
E deixá-la seguir – livre – a percorrer o mar

raph'12
(após um tweet de Carol Phoenix)

***

Crédito da foto: Stock4B-RF/Corbis

Marcadores: , , , ,

0 comentários:

Postar um comentário

Toda reflexão é bem-vinda:

‹ Voltar a Home

Related Posts with Thumbnails