Pular para conteúdo
18.11.08

Canção universal

Submerso
No longo sonho habitual
Penso subitamente
Que o inverso do visível
E tudo o que há
No longínquo horizonte da mente
Foi sempre o que tornou a vida
Deliciosamente imprevisível...

A longa teia que interliga
Todo ser
E toda semente de luz
Numa canção magistral

O sublime verso
Que ecoa
Do universo
Ao universal

raph'08

Marcadores: , ,

0 comentários:

Postar um comentário

Toda reflexão é bem-vinda:

‹ Voltar a Home

Related Posts with Thumbnails