Pular para conteúdo
1.11.08

Você e o copo (I)

Está interessado em uma experiência existencial interessante? Bem, basta não ler se não estiver.

Pegue um copo, pode ser qualquer tipo de copo, e coloque em cima de uma mesa a no máximo um metro de distância. Certifique-se que está em um ambiente iluminado, seja pela luz do sol ou pela luz "artificial" de uma lâmpada, por exemplo; Depois sente-se em uma cadeira e observe atentamente o copo por alguns momentos...

Agora me permita fazer algumas perguntas, e lhe trarei as respostas ao final. Portanto, não as leia se ainda estiver pensando na resposta:

1. O copo é real?

2. O copo é visível oi invisível?

3. De que forma você vê o copo?

 

 

 

Bem, vamos as respostas:

1. Sem dúvida, tudo o que é percebido faz parte da realidade.

2. Absolutamente invisível, assim como qualquer outro objeto ou ser que não emite luz.

3. Nosso orgão de visão consegue perceber o copo pelas partículas de luz que interagem com ele (no caso, refletem-se, já que ele não emite luz) e nos alcançam. Não vemos o copo diretamente, portanto, vemos a luz que interagiu com ele.
A luz na forma como a conhecemos é uma gama de comprimentos de onda a que o olho humano é sensível. Trata-se de uma radiação eletromagnética pulsante ou num sentido mais geral, qualquer radiação eletromagnética que se situa entre as radiações infravermelhas e as radiações ultravioletas.
Porisso, quando olhamos o céu a noite, estamos vendo o passado, a luz que veio de algum lugar muito distante para nos trazer informações visuais. Decerto se alguém observou algum copo parecido a bilhões de anos, alguma partícula de luz refletida na experiência pode estar passando pelas imediações de nosso sistema solar nesse exato momento.

Nessa experiência percebemos que a matéria, por mais sólida que seja, é absolutamente invisível como este copo que observamos. Nós só vemos "as coisas ao redor" porque elas interagem com a luz, pois tudo o que vemos são partículas de luz (fótons).

Segundo a teoria da Matéria Escura, a matéria convencional, essa que forma "as coisas ao redor", corresponderia a míseros 4% da matéria do Universo... Portanto, podemos ser perfeitamente materialistas, contanto que percebamos o "quão pequeno" é esse mundo da matéria, e o quanto falta ainda para o homem descobrir, detectar, e desvendar.

Na próxima experiência com o copo, iremos avaliar se a matéria (ou o copo) é tangível e paupável. Até lá.

Marcadores: , , , , , ,

2 comentários:

Blogger José disse...

se voce pode ajudar as pessos peso saude e salvan nosso trabralho que e nosso sustento jose

14/2/09 08:31  
Blogger raph disse...

Me perguntaram no Orkut se "Invisivel nao é aquilo q nao vemos? Como o copo pode ser invisivel se o vemos!
Não é pq é de forma indireta q podemos dizer q é invisivel... ou nao? (Flavio)" -- eis minha resposta:

"Segundo a ciência tudo o que vemos com os olhos são fótons. Portanto, para ambas as suas perguntas a resposta é que são invisíveis, apenas os fótons emitidos por meu monitor são visíveis (ele havia me enviado links para imagens com efeitos de ilusão de ótica).

Meu cérebro interpretou essas fótons e tirou suas próprias conclusões, mas eu não vi diretamente meu monitor, vi apenas a luz que emanou dele.

O mesmo vale para a visualização de um elétron, ou de uma galáxia distante: não vemos nada disso com os olhos, mas através dos fótons que são captados.

Se pudéssemos ver "além dos fótons", o problema da Incerteza Quântica estaria provavelmente resolvido, e provavelmente veríamos os outros 96% de matéria do Universo que teoricamente existem, e não interagem com a luz (fótons)."

10/3/09 17:02  

Postar um comentário

Toda reflexão é bem-vinda:

‹ Voltar a Home

Related Posts with Thumbnails