Pular para conteúdo
10.10.11

Como a mais bela tribo

Amanhã fazem 15 anos que o Brasil perdeu seu grande poeta punk, que em seus altos e baixos, viveu e cantou a vida de forma intensa, talvez aberta até demais. Dentre as inúmeras letras e músicas memoráveis, resolvi lhes trazer esta abaixo, por conter tantos pensamentos e reflexões resumidos em apenas alguns minutos de pura poesia...

Em "Índios", Renato Russo não fala apenas da forma selvagem com a qual os "seres morais do outro continente" dizimaram os povos indígenas da América, como também encontra espaço para uma crítica social ("quem tem mais do que precisa ter quase sempre se convence que não tem o bastante, e fala demais por não ter nada a dizer"), ainda outra crítica que toca no cerne do cristianismo ("esse mesmo Deus foi morto por vocês; sua maldade, então, deixaram Deus tão triste..."), uma pitada de gnosticismo ("seu nome está em tudo e mesmo assim ninguém lhe diz ao menos: obrigado"), e um refrão inefável, profundo, pleno de espiritualidade:

Eu quis o perigo e até sangrei sozinho
Entenda
Assim pude trazer você de volta pra mim
Quando descobri que é sempre só você
Que me entende do início ao fim

E é só você que tem a cura pro meu vício
De insistir nessa saudade que eu sinto
De tudo que eu ainda não vi

***

Com vocês, "Índios" no acústico da Legião Urbana (1992):

Renato, obrigado por tudo, espero que tenha encontrado uma bela tribo de luz para continuar a tecer e talhar sua poesia...

***

Crédito da foto: Divulgação (renatorusso.com.br)

Marcadores: , , , , , ,

0 comentários:

Postar um comentário

Toda reflexão é bem-vinda:

‹ Voltar a Home

Related Posts with Thumbnails