Pular para conteúdo
1.11.12

Das sociedades secretas

(I)

O problema das sociedades secretas na era da informação é que qualquer um pode falar o que quiser delas, inclusive que é membro ou ex-membro de uma delas, e que a sociedade W pratica os rituais x ou y...

Elas eram secretas porque as pessoas iam pra fogueira se fossem pegas. Hoje em dia isso não faz mais sentido: qualquer livraria megastore tem dezenas de livros com "conteúdo secreto".

Porém, novamente voltamos ao mesmo dilema de que "cada um pode falar o que quer"... A única maneira de avaliar é experienciando por contra própria. Ler manuais de natação pode ser bom, mas um dia temos de mergulhar também.

Se por "secreto" pressupomos "não saber dos ritos", então a grande maioria das religiões é secreta para aqueles que nunca participaram de seus ritos. O problema é que certas sociedades nasceram secretas por razões de sobrevivência (como evitar ir para a fogueira), mas hoje em dia ainda há muitas lendas sobre elas (incluindo as "demonizações" elaboradas pela Igreja).

Não se sabe exatamente o que é verdade ou não. Não parece ser possível saber sem pesquisar a fundo ou, preferencialmente, participar.

(II)

Não existe coisa mais simples do que colocar a culpa dos "males da sociedade" em "elites secretas". O problema é que os bancos centrais e os governos (ou mesmo a antiga aristocracia) nunca foram secretos... Então sobrou esta conta para as sociedades secretas.

Mas é claro que a culpa dos males da sociedade é da sociedade como um todo, ao menos se partimos do pressuposto de que existe a democracia.

O Vaticano é o mais próximo de uma "elite que controlou o mundo", mas nunca controlou o mundo todo, e já não é nem sombra do que foi um dia (a nível de influência e poder governamental)... E ainda, certamente, nunca foi secreto.

Dito isso, eu tampouco sou membro de uma sociedade secreta, então não tenho como ter certeza de nada disso. Apenas acredito que os maiores corruptores do mundo nunca precisaram exatamente "se esconder", pois o sistema em vigor sempre lhes permitiu corromper "as claras".

Entretanto, isso tem mudado.

(III)

Na era da informação, "controla o mundo" quem controla a mídia (ao menos enquanto a mídia ainda pode ser controlada por uma "elite").

O maior inimigo dos "controladores" é o livre-pensador, este que pensa realmente por si, e consegue navegar nesse mar de informação irrelevante, sempre auxiliado pela âncora da própria alma.

Mas ser livre-pensador é ser questionador: é questionar a Academia e a Igreja, as teorias de conspiração, as respostas fáceis, as promessas de utopias que não envolvem um esforço de cada um de nós, etc.

Não há nada mais secreto do que o pensamento livre.

***

Crédito da imagem: Elisa Lazo de Valdez/Corbis

Marcadores: , , ,

4 comentários:

Anonymous Anônimo disse...

a presença maciça de maçons na politica - e principalmente, ligados a ideais de direita - deve ser um dos motivos que alimenta esse pensamento, não?

1/11/12 16:00  
Anonymous Anônimo disse...

ops "alimentam". antes que alguem dê mais atenção ao erro de digitação do que ao conteúdo.

1/11/12 18:12  
Blogger raph disse...

A função e poder de um político maçom talvez se dê mais pelo fato de ele ser político do que ser maçom.

Acredito que a chamada "bancada evangélica", ou a "bancada ruralista", por exemplo, defendam mais diretamente os interesses de uma parcela da sociedade do que os maçons, que nem sei se são tão numerosos assim (na política).

Se eles quisessem "dominar o mundo", deveriam operar como o Partido Nazista. Se têm algum projeto de "dominação", parece que não tem funcionado tão bem. Quero dizer, são as grandes empresas que dominam o mundo, e não exatamente um partido político, ou um grupo maçom. E as grandes empresas estão bem aí, anunciadas em todos os cantos, para quem quiser ver...

Abs
raph

5/11/12 10:37  
Anonymous Franco-Atirador disse...

É então, aí os carinhas chegam dizendo que os donos dessas empresas são maçons, illuminatis, repilianos...

Acho que o que importa mesmo é saber que eles estão operando no modo da mente egóica, disfuncional, doente, que só recebe, não compartilha, sejam reptilianos, illuminatis, maçons, nordestinos ou dançarinos de sapateado, e que os responsáveis por tudo isso somos nós, as massas complacentes.

5/11/12 14:19  

Postar um comentário

Toda reflexão é bem-vinda:

‹ Voltar a Home

Related Posts with Thumbnails