Pular para conteúdo
9.10.12

A morte e o nada

A morte tampouco é o Nada...

Foi Mario Sergio Cortella quem disse que "o homem é o único animal mortal", pois todos os outros animais provavelmente são mesmo imortais: eles vivem este momento, e não se preocupam com a morte, pois tampouco tem consciência da morte (embora alguns elefantes talvez tenham).

E quem somos nós? Os mortais, os que foram expulsos do jardim de delícias, os animais que sabem que vão morrer...

Mas mesmo o fim da vida é alguma coisa. Na verdade é alguma coisa que se ensaia todas as noites, quando vamos dormir... Como bem disse John Galsworthy com suas cascas de sentimento: "O dia chegou novamente. Mas sua face parece um pouco estranha, não mais como fora ontem. Estranho de se pensar, nenhum dia é como o dia que se foi e nenhuma noite como a noite que virá! Porque, então, temer a morte, que é noite e nada mais? Porque se preocupar, se o dia que virá trará uma nova face e um novo espírito?"

Ainda assim, sobre o Nada, não há nada a dizer. Não é possível nem elogiar ou criticar, nem defender ou atacar o Nada. Não é possível filosofar sobre o Nada, mas talvez seja importante se perguntar: "porque existe algo, e não nada?"

***

Crédito da imagem: Marco Ciofalo

Marcadores: , , , , , ,

0 comentários:

Postar um comentário

Toda reflexão é bem-vinda:

‹ Voltar a Home

Related Posts with Thumbnails