Pular para conteúdo
17.10.12

Almas a brotar

De um mito antigo, tirado de contexto
Criaram um novo, bem mais sedutor
Mas as almas giram pelo mundo fora de eixo
E ninguém ainda viu seu condutor

As almas, enfim, estão gêmeas
Mas não são
Que as almas não estão paradas
Fluem e dançam na imensidão

Os mitos, afinal, dizem respeito a nós
Se existe uma metade que foi perdida
Nós que a perdemos, na dor da lida

Se queremos amar, de toda alma, ao que está separado
Trabalhemos com afinco no arado
Até que brote, em flor, o Uno Amado

raph'12

***

Crédito da foto: Google Image Search

Marcadores: , , , , ,

3 comentários:

Blogger Juliene Farnez disse...

Gostei muito do seu blog. É dinâmico e com conteúdo diversificado.


Também tenho um blog onde escrevo poemas e textos. Se interessar, faça uma visita, será muito bem-vindo.
http://entrereaiseutopias.blogspot.com.br/

18/10/12 07:51  
Anonymous Evaristo disse...

Raph, excelente poema! Continue!

22/10/12 17:32  
Blogger raph disse...

Obrigado Evaristo, elogios de poetas são sempre um incentivo por si só :)

Abs
raph

23/10/12 08:32  

Postar um comentário

Toda reflexão é bem-vinda:

‹ Voltar a Home

Related Posts with Thumbnails