Pular para conteúdo
11.11.13

O fado da impermanência

Diz-nos a Wikipedia que "no essencial, a origem do fado é ainda desconhecida, mas certo é que surge no rico caldo de culturas presentes em Lisboa, sendo por isso uma canção urbana"...

Uma das características marcantes do fado de Portugal é a sua exaltação da tristeza. Não uma depressão devastadora, mas uma tristeza que por vezes consegue até mesmo ser bela, ao menos no sentido artístico da beleza. Parece coisa que se perdeu no tempo, numa época em que ser triste não era algo abominável, e quando os "analgésicos da alma" ainda não eram propagados a torto e a direito por grandes conglomerados farmacêuticos. Uma época, enfim, em que os lutos duravam mais de duas semanas, mas jamais se contavam, nem com os dedos da mão, há quantos dias estávamos tristes.

Melhor era fazer que nem Fernando Pessoa, e escrever (ou chorar) a tristeza em cadernos ocultos, para serem descobertos eras mais tarde e cantados até mesmo por fadistas (como João Braga, por exemplo). Para que? Ora, para que a tristeza não suma da existência - afinal, somente com a tristeza é que sabemos onde fica a felicidade.

Neste sentido, acredito que Pessoa teria sido um admirador de António Zambujo, um dos novos fadistas mais geniais e promissores... E que teria gostado, especialmente, deste fado intitulado "Fortuna", que me parece quase um cântico budista:

O tempo tudo consome, não tenho nada em meu nome... Um mantra para estes tempos anestesiados de tudo o que se sente.


Marcadores: , , , , ,

7 comentários:

Blogger Luciano Henrique disse...

veja dicas de redação em http://culturadoescrever.blogspot.com.br/

12/11/13 00:28  
Anonymous Franco-Atirador disse...

Cara... EXCELENTE!!!

12/11/13 11:06  
Blogger Rato Saltador disse...

Belíssimo!
Também acredito que a tristeza pode ser um sentimento maduro, se não for acompanhada pelo desespero ou pelo apego.

Abs e grato por compartilhar!

12/11/13 18:00  
Blogger Rato Saltador disse...

Outro coisa: o fado me lembra muito o nosso chorinho. Sensibilidade impar!

12/11/13 18:03  
Blogger raph disse...

Oi Saltador,

Sem dúvida, lembra mesmo... Inclusive quando o Zambujo vem no Brasil, se não me engano, costuma tocar junto com cantadores de chorinho também (eu conheci ele numa entrevista para o Chico Pinheiro na GloboNews).

Abs
raph

13/11/13 11:21  
Anonymous Emilie Klaus disse...

Ficou boa a música

13/11/13 13:10  
Blogger Luz13 disse...

Oi, gostei do blog e partilho uma grande dica.
Aline foi a fundadora da Cidade das Pirâmides e tem muito a nos dizer sobre os temas que abordará neste encontro https://www.facebook.com/photo.php?fbid=533630020052489&set=a.109898532425642.17867.100002164879038&type=1&ref=nf.
Sei que gostarão muito de sua sensibilidade e conhecimento, visitem o site!
Vagas Limitadas, garanta já a sua no site:
www.deolhonomundo.com Peço que divulguem. Abraços.

13/11/13 18:13  

Postar um comentário

Toda reflexão é bem-vinda:

‹ Voltar a Home

Related Posts with Thumbnails