Pular para conteúdo
17.10.11

Diálogo zen

(Discípulo) Mestre, acabei de ler sobre uma pesquisa que fizeram no Ocidente - Perguntaram o que as pessoas tem de indispensável para o seu dia a dia, e a maioria respondeu que era o seu celular!

(Mestre) Que curioso...

(D.) Um absurdo, todo esse materialismo...

(M.) Mas o que deveria ser indispensável em sua vida?

(D.) Ora, penso que meus amigos, minha família, minha mulher...

(M.) Mas como? As pessoas não nos pertencem... Essa resposta não nos serve.

O discípulo pensou por um longo momento e acrescentou:

(D.) Muito bem, agora entendi: tudo o que temos é a sabedoria! Ela sim é indispensável.

(M.) Concordo... Mas me diga: como saberemos com certeza se temos mesmo alguma sabedoria?

(D.) Ora, pela opinião dos outros, mestre - Eu mesmo afirmo: você é um sábio!

(M.) Fico imensamente grato... Mas, e se estiver enganado? Outros podem aparecer por aqui e afirmar exatamente o oposto: que sou apenas algum louco... Ou pior, um charlatão...

(D.) Mas mestre, todos que conviverem um dia que seja contigo hão de concordar que é mesmo um sábio...

(M.) Como?

(D.) Ora, porque passarão a amá-lo como todos os outros discípulos tem lhe amado.

(M.) Mas... Amar assim tão depressa? Será que primeiramente não amariam o saber?

O discípulo acenou com a cabeça, concordando.

(M.) Então, não seria esse amor ao saber o que inicia todo esse caminho espiritual que temos percorrido juntos?

(D.) Sim mestre! Agora percebo que foi assim: primeiro me interessei por seu conhecimento, e só após nosso convívio foi que passei a amá-lo como a um pai...

(M.) E já que agora somos tão amigos, será que quando viajamos para longe um do outro o telefone não passa a ser indispensável para mantermos contato?

(D.) Bem, pode ser... Mas o telefone é apenas um objeto material...

(M.) Meu amigo, o problema não é o objeto, mas o uso que fazemos dele... De fato, não temos um telefone, não temos nossa casa e nem mesmo nossa roupa, o que temos é essa vontade tão antiga de nos conectarmos um ao outro - Eis o indispensável em nossa vida.


raph'11 (em homenagem ao blog de Aoi Kuwan: Magia Oriental)

***

Crédito da imagem: budgetplaces

Marcadores: , , , ,

7 comentários:

Blogger Isac Borgert disse...

Muito bom, a tecnologia esta para nos ajudar, e nos queremos cada vez estar mais conectados uns com os outros...

17/10/11 17:09  
Anonymous Kpaxx disse...

Parabéns pelo lindo texto.Você é o melhor colunista do Projeto Mayhen.

18/10/11 10:19  
Anonymous Aoi Kuwan disse...

Aww, que lindo conto! Obrigada pela homenagem! =*

19/10/11 17:20  
Blogger raph disse...

Obrigado pessoal!

Aoi, é que essa ideia me surgiu enquanto lia um dos contos zen do seu blog :)

Abs
raph

19/10/11 18:14  
Anonymous eterno caminhante disse...

Excelente mensagem, vai ao encontro do que busco para minhas reflexões pessoais. Obrigado por também se dedicar a compartilhar coisas boas neste meio (internet) tão cheio de coisas ruins.

21/10/11 10:52  
Blogger Jorge (Nectan) disse...

Que beleza de texto!!!!!
Adorei!!!

Abraços

22/10/11 14:54  
Blogger raph disse...

Obrigado mais uma vez aos comentários acima, e também aos quase 30 likes/curtir no Facebook :)

23/10/11 22:41  

Postar um comentário

Toda reflexão é bem-vinda:

‹ Voltar a Home

Related Posts with Thumbnails