Pular para conteúdo
10.7.14

669 razões

Sir Nicholas Winton

Há muitas histórias de homens e mulheres que se tornaram celebridades por seus feitos heroicos, mas casos como o de Sir Nicholas Winton não são tão fáceis de se encontrar. Hoje Winton tem mais de um século de idade, mas o que ele realizou pouco antes do início da Segunda Guerra Mundial, segundo ele próprio, "não foi nada de heroico". Winton apenas tentou salvar o máximo de crianças judias que fosse possível da então Tchecoslováquia, evitando sua morte certa nos campos de concentração nazistas, porque "existia alguma chance de ser possível".

Winton acabou conseguindo trazer 669 crianças para a Inglaterra, com a ajuda do governo inglês e sueco (muitos outros governos europeus da época se recusaram a receber as crianças, e alguns até fecharam as fronteiras, impedindo que elas atravessassem seus territórios), mas depois não achou relevante contar para ninguém sobre o seu feito - nem mesmo para sua mulher. Ao arrumar o sótão de casa, ela descobriu por acaso, num velho álbum coberto de poeira, fotos de crianças, cartas e telegramas, e uma lista com nomes e datas de viagens de trens. Foi ela quem revelou ao mundo o feito do marido.

As 669 crianças tchecas salvas jamais viram novamente seus pais - todos, sem exceção, foram mortos pelos nazistas. Mas muitas delas seguiram suas vidas, adotadas por famílias ou vivendo em abrigos e orfanatos ingleses. Tais crianças se tornaram escritoras, jornalistas, engenheiros, biólogos, construtores, guias turísticos e até mesmo cineastas... Muitas, sabendo da história de como foram salvas, também se tornaram adultos generosos, adotando outras crianças e se dedicando ativamente a caridade.

Winton só lamenta que o último trem, que traria mais 250 crianças para a Inglaterra, não tenha conseguido sair da Tchecoslováquia - a guerra havia iniciado, e as fronteiras já se encontravam fechadas. Nenhuma das crianças que não conseguiram embarcar sobreviveu, morreram nos campos de extermínio junto com suas famílias.

Difícil imaginar o que se passa no coração e na alma de um homem como Winton. Difícil imaginar a alegria de haver salvo 669, e a tristeza de haver perdido as 250 do último trem. Há muita gente que acha a vida tediosa e monótona, e outros um grande sofrimento, há muita gente que não consegue encontrar uma razão para continuar tocando a vida, para viver com esperança e alegria duradouras - Sir Nicholas Winton encontrou 669 razões.

Um dia um programa de TV inglês encheu um auditório com boa parte das crianças que Winton havia salvo, naquela época já bem adultas - sem que ele soubesse. O que se seguiu, quando foram apresentadas, demonstra o quão maravilhosa pode ser a resposta da Vida a quem, um dia, fez o possível para a preservar (ver a partir de 6:25, no vídeo abaixo):

"Quem, na plateia, teve a vida salva por Nicholas Winton, fique de pé, por favor."

Trecho do programa Fantástico, da Rede Globo, exibido em 23/12/2007.

***

Crédito das fotos: Arquivo de Nicholas Winton (fotos da época em que recebeu as crianças na Inglaterra, e de dias mais atuais)

Marcadores: , , , , ,

2 comentários:

Blogger Rato Saltador disse...

Fantástico! Rolou uns ciscos nos olhos vendo esse vídeo. Penso que uma das principais lições que tiramos desse exemplo é que Winton não achou relevante contar a ninguém o feito altruísta que realizou porque... realmente não tem relevância. Um feito altruísta é isso mesmo, altruísta, não faz sentido desempenha-lo e depois querer que os outros soltem fogos pelo que você fez. Na verdade, isso que era para ser o normal. "Mas, quando você der esmola, que a sua mão esquerda não saiba o que está fazendo a direita" Mt 6:3

13/7/14 02:15  
Blogger raph disse...

Realmente a ação dele toca no fundo da alma, fica muito difícil não se emocionar profundamente :)

Abs!
raph

14/7/14 09:59  

Postar um comentário

Toda reflexão é bem-vinda:

‹ Voltar a Home

Related Posts with Thumbnails