Pular para conteúdo
12.12.11

Pássaros a voar

Uma vez mais ele acordou
Já após o galo cantar
Amaldiçoou a vida – Se levantou
Saiu carreiro para trabalhar...

Uma vez mais os pássaros piaram
Em meio ao orvalho da natureza
Refletindo aos raios que chegaram
Lá, de tão longe – Onde há só beleza...

E não ganhou na loteria
Nem aquele aumento que pediu
A um homem que nunca o viu

E lá fora havia profunda calmaria
– A primeira revoada já estava a passar
Com animaizinhos livres a caçar

(...)

Após o soneto, os pássaros voaram acima,
E ele ficou ali abaixo:
Exatamente onde seu pensamento o situava...

No restante do dia...
No restante daquele mês
E daquela existência
Foi tudo para ele quase puro sofrer
Que uma vez mais estava
A sobreviver
Sem se dar conta
Sem perceber
Toda a infinita revoada
De pássaros a voar
E vidas, por viver...

raph'11

***

Crédito da foto: Anônimo (revoada de pássaros no Pantanal/MS)

Marcadores: , , ,

0 comentários:

Postar um comentário

Toda reflexão é bem-vinda:

‹ Voltar a Home

Related Posts with Thumbnails