Pular para conteúdo
12.5.08

Palavras do Chefe Seattle

O Presidente em Washington diz que deseja comprar a nossa terra.

Mas como pode comprar ou vender o céu, a terra? Essa idéia é estranha para nós. Cada parte dessa terra é sagrada para o meu povo. Cada agulha de pinheiro brilhante. Cada grão de areia da praia, cada névoa na floresta escura. Cada característica é sagrada na memória e na experiência do meu povo.

Somos parte da terra e ela é parte de nós. As flores são nossas irmãs. O urso, o veado, a grande águia são nossos irmãos. Cada reflexo na água cristalina dos lagos fala de acontecimentos e lembranças da vida do meu povo. O murmúrio das águas é a voz do meu pai. Os rios são nossos irmãos. Eles levam nossas canoas e alimentam nossos filhos.

Se lhes vendermos nossas terras, lembrem-se de que o ar é precioso para nós. E compartilha seu espírito com as formas de vida que sustenta. O vento que deu a nosso avô o seu primeiro alento recebe, também, o seu último suspiro.

Sabemos que a terra não pertence ao homem. O homem pertence à terra. Todas as coisas são interligadas, como o sangue que nos une. O homem não tece a teia da vida - ele é apenas um fio dela. O que fizer à teia, fará a si mesmo.

O destino de vocês é um mistério para nós. O que vai acontecer quando todos os búfalos forem sacrificados? O que vai acontecer quando os recantos secretos da floresta estiverem passados com o odor de inúmeros homens e a vista das colinas verdejantes se macular com os fios que falam?

Será o fim da vida e o começo da sobrevivência. Quando o último pele-vermelha sumir com a natureza selvagem, e sua lembrança for só a sombra de uma núvem sobre a planície, essas praias e florestas ainda estarão aqui? Terá sobrado algum espírito do meu povo?

Amamos a terra como o recém-nascido ama as batidas do coração da mãe. Se vendermos nossa terra, amem-na como nós a amamos. Cuidem dela como cuidamos. Preservem na mente a lembrança da terra, tal como ela estiver quando a receberem. Preservem a terra para as crianças e amem-na como Deus nos ama.

Sabemos que só existe um Deus. Nenhum homem, vermelho ou branco, pode viver isolado. No final das contas, somos todos irmãos.

Parte da carta feita pelo Chefe Seattle ao Presidente Franklin Pierce em 1854, tal qual resumido por Joseph Campbell em "O Poder do Mito".

» Veja a carta completa

Marcadores: , , , , , , ,

8 comentários:

Blogger manuel correia disse...

como sempre, o homem ocidental o mais avançado,
revela-se com o tempo o mais atrasado...

9/6/09 09:19  
Blogger Yara Rückert disse...

Esta carta é maravilhosa,já a li muitas vezes e mesmo assim sempre me emociono na releitura.
É de uma sabedoria sem igual,vinda de alguém que como poucos,soube valorizar a natureza e os seres vivos,como irmãos que são,com a mesma importância que nos é dada.
Só é uma pena que provavelmente não surtiu o efeito desejado,já que é sabido que políticos,homens de posses,não são comovidos facilmente,visto os interesses econômicos e políticos serem sempre colocados em primeiro plano...

Abs,

Yara

21/3/11 00:15  
Blogger raph disse...

Certamente um dos mais belos textos da humanidade, que resume a sabedoria de um povo que não reside mais entre nós... Não porque não mereça, mas porque nós não os merecemos.

Eu costumo citar trechos desta carta em diversos artigos do blog. O próximo post mesmo, segunda parte de "O fogo de Prometeu", deve ter alguma citação :)

Abs
raph

21/3/11 01:35  
Anonymous Anônimo disse...

Fantástico, o homem ocidental é atrasado.

10/3/12 23:18  
Anonymous Anônimo disse...

ha algum tempo fiz uma pesquisasobre a autenticidade desse texto, e acabei achando um blog de alguem que fez o mesmo - e a fundo.

Descobriram que a suposta carta foi retirada de um filme, e que houve realmente uma carta do chefe seattle, mas nao ha registro sobre seu conteudo.

21/9/12 11:50  
Blogger raph disse...

Sim o "filme" em questão provavelmente foi o mesmo de onde tirei este trecho, que é uma adaptação da carta original. Em "O Poder do Mito", uma entrevista para o jornalista Bill Moyers, Joseph Campbell lê este trecho. A carta original consta no link ao final do post.

Campbell é um dos especialistas em mitologia mais importantes do século XX, e Bill Moyers é um grande jornalista. Além disso, Campbell dedicou boa parte da vida ao estudo exatamente da mitologia dos povos indígenas norte-americanos. Acho muito, muito improvável, que ele tenha trazido uma "carta falsa" para a entrevista (que inclusive também virou livro).

Mas, ainda que não tenha sido escrita pelo Chefe Seattle, isso também pouco importa: o que importa é o conteúdo que nos chegou.

Abs
raph

21/9/12 16:30  
Anonymous Anônimo disse...

Carta FALSA !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Chupa Ecologista de esquerda !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

7/6/15 11:13  
Blogger raph disse...

Primeiro: a carta não é inteiramente falsa, apenas foi adaptada para o documentário "O Poder do Mito". Detalhe que foi adaptada por um dos maiores estudiosos de mitologia, particularmente mitologia indígena norte-americana, do século passado - Joseph Campbell.

Segundo: Não sou muito adepto a chupar ecologistas de esquerda, embora não tenha de fato nada contra eles. Mas, se você gosta, vai fundo :)

8/6/15 10:28  

Postar um comentário

Toda reflexão é bem-vinda:

‹ Voltar a Home

Related Posts with Thumbnails