Pular para conteúdo
12.2.09

A evolução desconhecida

Neste dia onde comemoramos os 200 anos do nascimento de Charles Darwin, co-criador da teoria da Evolução com Alfred Russel Wallace, gostaria de falar sobre a parte ainda "desconhecida" da evolução das espécies, e principalmente a do homo sapiens.

Como Drausio Varella e outros antropologistas gostam de lembrar, a evolução cultural não se deu apenas no homo sapiens, como em outras espécies capazes de conviver em sociedade, como chipanzés e bonobos, nossos parentes mais próximos (segundo os estudos do Genoma Humano comprovaram). E não paramos por aqui: muitos psicólogos evolutivos fazem alarde sobre a teoria da evolução da mente humana - "Homens traem mais pois na Idade da Pedra precisavam disseminar a espécie em diversas parceiras, sob o risco de condenar sua espécie a extinção caso fossem monogâmicos numa época ainda absolutamente inóspita a sobrevivência sedentária." - esse tipo de afirmação é muito comum entre os defensores da PE Pop (Psicologia Evoltutiva Populacional).

Em artigo recente na Scientific American, o prof. David J. Butler critica a afirmativa de que "o homem moderno tem a mente da Idade da Pedra", e expõe diversas razões, na maioria falta de evidências, para que consideremos essa afirmação uma falácia. Entretanto, se perguntarmos a qualquer cético que crê na teoria da Evolução, o fato de que existe a evolução cultural e cognitiva humana é quase que sempre dado como verdadeiro... Interessante pois que, independente de críticas como as do prof. Butler, exista um problema muito mais importante e crucial para ser resolvido: "Como é possível que Genes, que transmitem apenas características físicas, possam carregar informações ou memórias de uma possível evolução cultural e cognitiva da espécie?".

Até hoje, pouco se desenvolveu esse assunto na literatura científica. Podemos aqui destacar que Dawkins percebeu o problema, tanto que se preocupou em delinear uma vaga teoria acerca dos Memes, teoricamente os "genes que transmitiriam as características não-físicas adiante"... Infelizmente o célebre autor do Gene Egoísta não conseguiu encontrar essa outra espécie de "genes exóticos" em lugar algum, e nem tampouco qualquer outro pesquisador. Os memes continuam sendo alternativas místicas aos genes.

Também podemos citar Jung e seu Inconsciente Coletivo, segundo a Wikipedia ele "é a camada mais profunda da psique humana. Ele é constituído pelos materiais que foram herdados da humanidade. É nele que residem os traços funcionais, tais como imagens virtuais, que seriam comuns a todos os seres humanos." - Seria então, mais ou menos, como quintilhões de bits de informação que "flutuam no ar" e, de alguma forma desconhecida, são acessados não somente por homo sapiens conscientes, como também por todas as outras espécies que obtiveram alguma forma de evolução cultural ou cognitiva - ou seja, não dependeríamos de genes para passar tais informações adiante, elas estariam simplesmente "em algum lugar do espaço". E chamaríamos isso de ciência ou de esoterismo?

É verdade que a teoria de Darwin-Wallace nunca pretendeu explicar a origem da vida, apenas trazer luz a forma com a qual essa vida evoluiu de simples bactérias para seres formidáveis e complexos, numa infinidade de espécies. A teoria da Evolução nunca casou muito bem com a noção de evolução da cultura e cognição nas espécies, e se mostrou especificamente limitada em explicar o surgimento da consciência. Poderemos imaginar que isso se explica pelo fato de que ambos os criadores de tal teoria serem cientistas e céticos, que nada compreendiam de espiritualidade. Então estaríamos errados...

Não é à toa que Wallace é tão pouco citado quando se fala na teoria da Evolução - primeiro, era bem mais jovem que Darwin quando a teoria lhes surgiu a ambos, mas principalmente, Wallace foi espiritualista, e um cientista espiritualista é algo que nunca soou muito bem aqueles que escrevem a história da ciência... Segundo a Wikipedia e suas fontes, Wallace "argumentou que a seleção natural não poderia justificar o gênio matemático, artístico ou musical, nem contemplações metafísicas, a razão ou o humor, e que algo no "invisível universo do Espírito" tinha intercedido pelo menos três vezes na história: 1. A criação da vida a partir da matéria inorgânica; 2. A introdução da consciência nos animais superiores; 3. A geração das faculdades acima-mencionadas no espírito humano." - Ora, não é tão fácil desacreditar o pensamento de um espiritualista, quando este é um dos responsáveis pela teoria mór do materialismo, não é mesmo?

Mas poderemos pensar: será que ciência e religião estão em lados opostos? Será que materialismo e espiritualismo nunca se encontraram? Será que a Natureza se explica por noções radicais, preto no branco, como "tudo é matéria" ou "tudo é espiritual e ilusório", ou será que Natureza antes opera em gradações de cinza?

O que Wallace defendia é conhecido pela humanidade desde milhares de anos atrás, nos primórdios das religiões orientais, principalmente do Hinduismo (mesmo Sagan traça paralelos entre as teorias de criação/destruição do Universo e a cosmologia religiosa da antiga India). Consciência, alma ou espírito, chame-a como achar melhor, o que a teoria da Reencarnação defende é tão somente que existe uma lógica perfeitamente plausível por detrás da crença de que a consciência e a memória não dependem de genes para serem passadas adiante, simplesmente pelo fato de que, ao contrário do corpo dito "físico", não são exterminadas na morte.

Num Universo não-local, onde 96% da matéria não interage com a luz, e onde pululam teorias físicas acerca da existência de diversas dimensões, branas, ou mesmo universos palralelos - e mais, onde sabe-se a tempos pela ciência que toda matéria é invisível e intangível - será assim tão fantástico e absurdo imaginarmos que a consciência, algo que sequer detectamos no cérebro humano, e que não sabemos do que é formado, possa sobreviver ao fim das atividades cerebrais?

Pode ser que no futuro a ciência descubra que realmente a consciência nada mais é do que um estado exótico do cérebro, fruto de reações químicas que possibilitaram que poeira de estrelas pudessem adquirir conhecimento do céu noturno, e do Cosmos das quais são filhas. No entanto, negar de antemão a possibilidade da evolução "desconhecida" se dar através de caminhos igualmente ocultos, e apostar todas as fichas no materialismo, me parece algo arriscado... Afinal, todos podemos estar errados, então não deveríamos apontar raivosos e dizer "você está louco, isso não pode estar certo!" - E quem disse que a Natureza obedece aquilo que "achamos estar certo"?

***

Crédito da foto: corbis

Marcadores: , , , , , , , , , ,

5 comentários:

Blogger eduardo levi disse...

Interessantissimo post Raph, estou até encaminhando para alguns materialistas ehhe..

Agora te pergunto a parte, qual o gadget para divulgar o post no delicious, facebook, etc?

paz e luz no coração!

Abraços,

Eduardo Levi

14/2/09 11:50  
Blogger raph disse...

Oi Eduardo,

Na verdade uso ainda o template antigo do blogger, mas o código é simples, basta inserir o html e onde entraria a url do post atual, trocar pela variável que monta essa informação no blogger:

[a href="http://del.icio.us/post?url=<$BlogItemPermalinkUrl$>" target="_blank"][img src="http://yourserver.com/images/imgIcon01.gif" title="Adicionar ao Delicious" alt="Adicionar ao Delicious" /][/a]

ps. Troquei "< >" por "[ ]" pq não aceita html no comentário.

Abs
raph

16/2/09 09:59  
Blogger raph disse...

Aos que se interessaram pelo problema da evolução cognitiva não poder se explicada por genes, mas não concordam com a hipótese da reencarnação, ler também:

http://textosparareflexao.blogspot.com/2010/05/astrologia-genetica.html

3/5/10 18:03  
Blogger Yara Rückert disse...

Ótimo texto!! realmente já havia lido sobre Darwin,mas Wallace jamais teve um destaque significativo...é realmente estranho os cientistas "abafarem" sua participação...
Quanto aos psicólogos há muito sérios e sensacionais,há alguns que preferem viver de especulação...ora,justificar que o homem trai devido à ancestralidade,ao tempo das cavernas,pra mim é pura desculpa...somos seres sociais,não podemos simplesmente ceder aos impulsos que vem do ID pela ancestralidade das cavernas,se assim o fosse teríamos desculpa para matar quem nos ameaça no emprego,afinal a prole precisa ser alimentada,ou ainda seria justificável que as mulheres fossem interesseiras pois precisam de um "macho provedor",afinal sempre estivemos à espera da caça...enfim,acredito que devemos nos responsabilizar por tudo o que fazemos,não por culpa,mas por consciência,por simples vontade de fazer melhor,esse vitimismo todo é muito chato né?

Abs!

Yara

21/3/11 00:34  
Blogger raph disse...

É um terreno muito complexo, principalmente porque é muito difícil conseguir comprovar algo cientificamente.

Volta e meia temos "pesquisas científicas" que pretendem justificar a infidelidade masculina como fruto dessa evolução psicológica, mas a quase totalidade dessas pesquisas não tem como provar nada, principalmente pelo fato de que não sabemos como diabos heranças não-físicas, intuitivas e instintivas, seriam passadas adiante.

E não sou apenas eu quem critico esse tipo de coisa, algumas especialistas me acompanham:

http://textosparareflexao.blogspot.com/2010/08/pornografia-cientifica.html

Abs
raph

21/3/11 01:40  

Postar um comentário

Toda reflexão é bem-vinda:

‹ Voltar a Home

Related Posts with Thumbnails